Banner Record
Banner Tropical
A CONTA-GOTAS

Edna: “Cuiabá adota estratégia errada; vacinas estão represadas”

Vereadora diz que Câmara está se abstendo de exercer o seu papel e "poderia fazer mais"

Raul Site

Raul SiteSite de notícias de Rondonópolis e Mato Grosso - Jornalismo Online | Diretor Raul Félix Site.

02/04/2021 20h46
Por: Raul Site Félix
Fonte: https://www.midianews.com.br
LISLAINE DOS ANJOS
DA REDAÇÃO

O sistema de centralização da vacinação em Cuiabá foi duramente criticado pela vereadora Edna Sampaio (PT), que acusou a Prefeitura Municipal de adotar uma estratégia que vai na contramão do que outras cidades do Brasil e do mundo já provaram ser o correto.

 

Para a parlamentar, as escolhas equivocadas e a insistência em um sistema que gera aglomeração e filas quilométricas revelam a resistência do Poder Executivo Municipal em ouvir a população, os vereadores e especialistas da área da Saúde, que defendem a abertura de mais polos de vacinação.

 

“Temos criticado essa centralização desde o primeiro momento, por escrito, em reunião com secretária [Ozenira Felix]. Sem sermos ouvidos pelo Poder Público, recorremos à Justiça, mas tivemos o pedido indeferido. Agora, o Ministério Público faz o mesmo pedido”, disse.

 

Após reunião com o Judiciário, na quinta-feira (1º), Emanuel se comprometeu a criar um plano de expansão dos locais de vacinação em Cuiabá.

 

A estratégia da vacinação é uma que, meu Deus do Céu, o mundo inteiro mostra que é a forma errada de fazer

Edna salientou que não seria necessário judicializar a questão se a Prefeitura seguisse o que vários lugares no mundo já fizeram em relação à vacinação, ao invés de “atrasar o processo e as pessoas continuam adoecendo”.

 

“Não vejo estratégia de Cuiabá para enfrentar pandemia. Vejo hospitais lotados. A estratégia da vacinação é uma que, meu Deus do Céu, o mundo inteiro mostra que é a forma errada de fazer. A gente vê exatamente uma centralização, com aglomeração, e uma lentidão na vacinação em Cuiabá”, completou.

 

Vacinas guardadas

 

Para a vereadora, não cabe a tese da Secretaria de Saúde de que a opção pela centralização ocorre em razão das remessas com poucas doses de vacina ao Município, sendo inviável a abertura de novos polos de imunização.

 

“A gente já sabe que a Secretaria sequer conseguiu vacinar todas as doses que recebeu”, disse ela se referindo ao fato de o Município ter recebido 95.588 doses de vacina, mas ter aplicado apenas 60.816 até a quinta-feira, conforme dados do Ministério da Saúde.

 

“Já recebi fotos de vacinas estocadas, armazenadas na Secretaria de Saúde. Ou seja, a estratégia que o Poder Público Municipal está utilizando represa a vacinação, e não acelera. Fica aparecendo uma arrogância do Poder Público: não vou fazer, não aceito que ninguém critique e vou fazer do jeito que eu acho que é certo”, criticou.

 

O que acontece é que a Câmara está se abstendo de exercer o seu papel na pandemia

Inércia

 

A petista salientou que a Câmara poderia fazer muito mais, principalmente em relação à vacinação, mas que está “se abstendo de exercer seu papel” durante a pandemia.

 

Conforme a vereadora, um os grandes obstáculo é o fato de que a maioria dos parlamentares é vinculada ao prefeito e acaba votando apenas da forma que interesse ao Executivo.

 

“A Câmara poderia, por exemplo, apresentar um projeto de lei exigindo que o poder público promovesse a vacinação de forma descentralizada, sem colocar em risco a vida das pessoas. Poderia ter uma lei municipal com as diretrizes gerais para a vacinação”, defendeu.

 

“O que acontece é que a Câmara está se abstendo de exercer o seu papel na pandemia. Foi assim na legislatura passada e está sendo assim nessa legislatura até esse presente momento”, criticou.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.