Banner Tropical
Banner Record
AULAS NA PANDEMIA

“Cenário é alarmante; não há nem como projetar retorno das aulas”

Secretário pede priorização de professores na fila de vacinação como forma de acelerar retorno de aulas

Raul Felix

Raul FelixSite de notícias de Rondonópolis e Mato Grosso - Jornalismo Online | Diretor Raul Félix Site.

29/03/2021 18h18
Por: Raul Site Félix
Fonte: https://www.midianews.com.br
LISLAINE DOS ANJOS
DA REDAÇÃO

O secretário de Estado de Educação, Alan Porto, afirmou que o cenário atual da pandemia em Mato Grosso não dá condições para que o Governo sequer cogite projetar um calendário de retorno das aulas presenciais para os alunos da rede pública de ensino.

 

Em entrevista à Rádio CBN Cuiabá, nesta segunda-feira (29), o secretário lamentou o golpe sofrido no ensino estadual com a chegada da pandemia em 2020, mas reafirmou que o momento atual é de priorizar vidas.

 

“Analisando o cenário atual, não tem condições nenhuma de a gente nem projetar qual será o melhor momento para retornar de forma gradativa no modelo híbrido. O cenário é alarmante, cada dia que passa os números aumentam. A gente fica bastante preocupado”, afirmou.

 

A possibilidade de retorno – seja no sistema híbrido ou 100% presencial –, segundo Porto, passa obrigatoriamente pelo crivo das autoridades de Saúde.

 

Eu defendo a prioridade de todos os profissionais de Educação, porque a nossa Educação não pode mais sofrer da forma como sofreu em 2020

“Acredito que abril está muito complicado e em maio o cenário ainda estará difícil. O que vai definir isso daí [retorno] é o grau de imunização dentro do nosso Estado, a capacidade e a infraestrutura hospitalar”, pontuou.

 

Defensor de que os profissionais da Educação sejam colocados na lista de prioridade no Plano Nacional de Imunização contra Covid-19, o secretário afirmou que acredita que grande parte dos servidores da área devam ser vacinados nos próximos dois meses, em razão da faixa etária, o que já daria condições de pensar em mudar o modelo de ensino em vigência.

 

“Eu defendo a prioridade de todos os profissionais de Educação, porque a nossa Educação não pode mais sofrer da forma como sofreu em 2020. Precisamos retornar o mais rápido possível, mas precisamos ter segurança”, pontuou.

 

“Acreditamos que boa parte dos nossos professores será vacinada em abril e maio – em razão da faixa etária – e teremos condições melhor de analisar se teremos um ambiente seguro para ir retornando de forma gradativa: com 30%, 50% no modelo híbrido”, avaliou.

 

Porto destacou, ainda, o esforço que vem sendo feito pelo governador Mauro Mendes (DEM) para a compra de vacinas. Dessa forma, segundo ele, seria mais fácil garantir a imunização dos servidores da Saúde, uma vez que não dependeria exclusivamente de mudança na resolução por parte do Governo Federal, que hoje é quem distribui as doses para os estados.

 

“Há esforço para compra de vacinas por parte do Governo do Estado. Acredito que, comprando vacina, o governador será sensível a essa situação e colocará os profissionais como prioridade”, disse.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.