Prefeitura Rondonópolis
Liga Gás topo
Medidas de restrição

Medidas de restrição em festas de Ano Novo em Cuiabá e Várzea Grande devem ser tomadas após MP pedir suspensão dos eventos

O compromisso foi firmado durante audiência de conciliação nesta terça-feira (29), após o pedido do Ministério Público Estadual (MPE) para que os municípios cancelem as festas.

Raul Site Félix

Raul Site Félixwww.jornalmt.com.br | www.anoiteafora.com.br é um portal sobre notícias e entretenimentos. O empreendimento surgiu de uma ideia do diretor (Raul Félix) no ano de 2010, de se fazer um portal sobre notícias, entretenimento, cultura, Enquetes, Política, Educação, Esportes, Polícia, festas, shows e eventos.

30/12/2020 10h52
Por: Raul Site Félix
Fonte: https://g1.globo.com/

As prefeituras de Cuiabá e Várzea Grande devem apresentar até esta quinta feira (31), um plano de fiscalização para a realização das festas de réveillon que possam ter aglomeração de pessoas. O compromisso foi firmado durante audiência de conciliação nesta terça-feira (29), após o pedido do Ministério Público Estadual (MPE) para que os municípios cancelem as festas.

Durante a audiência, o secretário de Ordem Pública de Cuiabá, Leovaldo Sales, disse que nesta quarta-feira (30), a prefeitura vai publicar um novo decreto, com medidas mais restritivas para a realização dos eventos.

O Sindicato de Hotéis, Bares e Restaurantes vai entregar uma lista dos locais que têm festas de réveillon programadas para auxiliar a fiscalização.

O pedido do cancelamento foi feito pelo MPE através de uma ação na Justiça. O órgão afirmou na ação que caso os municípios não garantissem o cumprimento dos decretos que restringem a lotação em eventos, como ocorreu na semana passada no Parque das Águas, a promotoria pediria a proibição dessas festas.

A ação do MPE pede que a Justiça proíba que o estado e as prefeituras de Cuiabá e Várzea grande autorizarem a realização de eventos públicos e particulares, com aglomeração de pessoas. A promotoria de justiça pede ainda, que sejam suspensas as licenças que eventualmente já tenham já sido emitidas para as festas de final de ano.

 

De acordo com a promotoria, o pedido se justifica por causa da ocupação de leitos por pacientes que foram infectados pelo coronavírus e cobra também maior fiscalização por parte das prefeituras.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.