Banner Tropical
Banner Record
Caso Irmãos Araújo

Caso Irmãos Araújo: Justiça nega pedido de defesa e mantém mandado de prisão contra empresária

Mônica Marchett é considerada foragida da Justiça desde o último dia 8 de outubro

Raul Site

Raul SiteSite de notícias de Rondonópolis e Mato Grosso - Jornalismo Online | Diretor Raul Félix Site.

08/11/2020 18h35Atualizado há 7 meses
Por: Raul Site Félix
Fonte: https://www.atribunamt.com.br/2020/11/07/caso-irmaos-araujo-justica-nega-pedido-de-defesa-e-mantem-mandado-de-prisao-contra-empresaria/

A Primeira Vara Criminal de Rondonópolis negou o pedido feito pela defesa da empresária Mônica Marchett, que buscava a revogação do mandado de prisão preventiva expedido contra a ela.

A empresária, que é considerada foragida desde o dia 08 de outubro, é acusada de mandar matar os irmãos Brandão Araújo Filho e José Carlos Machado Araújo, em 1999 e 2000.

A defesa entrou com pedido de revogação da prisão preventiva, sustentando que o juiz foi induzido ao erro pelo MP ao decretar a prisão. Alegou também que a acusada sempre manteve seu endereço atualizado, já que a principal justificativa para o pedido de prisão foi o fato da empresária não ser localizada para as devidas intimações.

O Ministério Público se manifestou contra o pedido e o juiz responsável pela Vara afirmou que é clara a intenção da empresária em fugir à aplicação da lei penal. Além disso, lembrou que a acusada não foi pessoalmente encontrada, a fim de ser citada, e por isso ocorreu por edital.

Ao longo de todos esses anos, a empresária desfrutou de uma vida de luxo, longe de Rondonópolis, mesmo ainda mantendo negócios na cidade. Ela ainda se mantém ativa nas redes sociais, com um canal no Youtube que fala sobre comportamento e um blog pessoal, cuja última postagem feita é do dia 27 de outubro, quando ela já era considerada foragida da Justiça.

Os irmãos Brandão e José (conhecido como Zezeca) foram assassinados em pleno centro de Rondonópolis, em 10 de agosto de 1999 e 28 de dezembro de 2000, respectivamente. As mortes foram encomendadas junto a pistoleiros, supostamente motivada por uma disputa por terras.

Os executores foram presos, julgados e condenados, atualmente cumprindo a sentença. Já os mandantes, apontados pelo Ministério Público como Mônica e seu pai Sérgio Marchett, seguem em liberdade, com os processos se arrastando pela Justiça há vários anos.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.