Banner Record
Banner Tropical
CASO ISABELE

Família contrata agência para filmar sua versão da reconstituição Dono da empresa confirmou que equipe de cinegrafistas vai na casa dos Cestari nesta quarta-feira

O empresário Marcelo Cestari, pai da adolescente que segurava uma arma que disparou e matou Isabele

Raul Site

Raul SiteSite de notícias de Rondonópolis e Mato Grosso - Jornalismo Online | Diretor Raul Félix Site.

26/08/2020 10h19
Por: Raul Site Félix

O empresário Marcelo Cestari, pai da adolescente que segurava uma arma que disparou e matou Isabele Guimarães, contratou a agência de publicidade Gênius para produzir uma reconstituição paralela da noite da tragédia.

 

A reportagem apurou que, na manhã desta quarta-feira (26), a equipe da agência irá até a casa no condomínio Alphaville, onde Isabele morreu, para estudar a locação.

 

No período da tarde deve ocorrer a gravação da versão da família Cestari sobre o caso.

 

Procurado, o proprietário da agência Gênius, Júnior Brasa, confirmou que uma equipe de cinegrafistas seria enviada para a casa de Cestari, porém não soube dizer para qual finalidade.

 

A reportagem também entrou em contato com um representante da família Cestari, que negou que seria feita a reconstituição do episódio contando a versão da família.

 

Reconstituição oficial

 

No dia 19 deste mês, policiais e peritos realizaram a reconstituição da cena que resultou na morte de Isabele.

 

Em mais de seis horas de trabalhos, os policiais civis e peritos reproduziram passo a passo tudo o que houve na noite de 12 de julho.

 

Conforme apurou a reportagem, a reconstituição do crime reproduziu tanto o que foi falado nos depoimentos quanto o que consta na perícia.

 

A cena do tiro foi repetida pela perícia nos mínimos detalhes, inclusive com três disparos, tanto para verificar a altura da arma no momento em que o gatilho foi apertado, quanto para reproduzir o barulho.

 

Os tiros foram realizados com projéteis de verdade disparados contra um anteparo colocado pelos peritos dentro do banheiro.

 

Isabele morreu no dia 12 de julho com um tiro no rosto disparado por uma arma que era segurada pela melhor amiga. O caso aconteceu na residência do empresário.

 

O disparo

 

A perícia de necropsia, produzida pelo Instituto de Medicina Legal (IML), apontou que o disparo foi realizado no rosto da adolescente, a curta distância, e causou traumatismo crânio-encefálico.   

 

À Polícia, a adolescente que atirou disse que foi em busca da amiga no banheiro do seu quarto levando em mãos duas armas.

 

Em determinado momento, as armas, que estavam em um case, caíram no chão. “A declarante abaixou para pegar os objetos, tendo empunhado uma das armas com a mão direita e equilibrado a outra com a mão esquerda em cima do case que estava aberto", revelou a menor em depoimento.

 

"Que em decorrência disso, sentiu um certo desequilíbrio ao segurar o case com uma mão, ainda contendo uma arma, e a outra arma na mão direita, gerando o reflexo de colocar uma arma sobre a outra, buscando estabilidade, já em pé. Neste momento houve o disparo", acrescentou.

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.